sábado, 31 de julho de 2010

A dificuldade de agradar a todos

Muitas pessoas se comportam da forma que imaginam que agradará a todos.

Esta metáfora nos fala da impossibilidade de realizar este objetivo e sobre
a necessidade de confiarmos em nosso julgamento interno.
Em pleno calor do dia um pai andava pelas poeirentas
ruas de Keshan junto com seu filho e um jumento.
O pai estava sentado no animal, enquanto o
filho o conduzia, puxando a montaria com uma corda.
"Pobre criança!", exclamou um passante, "suas perninhas curtas precisam esforçar-se para não ficar para trás do jumento.
Como pode aquele homem ficar ali sentado tão calmamente sobre a montaria,
ao ver que o menino está virando um farrapo de tanto correr.
O pai tomou a sério esta observação, desmontou do jumento na esquina seguinte e colocou o rapaz sobre a sela.
Porém não passou muito tempo até que outro passante erguesse a
voz para dizer:
Que desgraça! O pequeno fedelho lá vai sentado como um sultão, enquanto seu velho pai corre ao lado.
Esse comentário muito magoou o rapaz, e ele pediu ao pai que montasse também no burro, às suas costas.
Já se viu coisa como essa?, resmungou uma mulher usando véu. Tamanha crueldade para com os animais!
O lombo do pobre jumento está vergado, e aquele velho que para nada serve e seu filho abancaram-se como seu o animal fosse um divã.
Pobre criatura! "Os dois alvos dessa amarga crítica entreolharam-se e, sem dizer palavra, desmontaram.
Entretanto mal tinham andado alguns passos quando outro estranho fez troça deles ao dizer:
Graças a Deus que eu não sou tão bobo assim!
Por que vocês dois conduzem esse jumento se ele não lhes presta serviço algum, se ele nem mesmo serve de montaria para um de vocês?
O pai colocou um punhado de palha na boca do jumento e pôs a mão sobre o ombro do filho.
"Independente do que fazemos", disse, sempre há alguém que discorda de nossa ação.
Acho que nós mesmos precisamos determinar o que é correto".

Autor desconhecido

Lendo esse texto antes de postar, me dei conta que devemos nos preocupar em agradar somente a nós e a Deus, já que por mais que façamos sempre vai haver alguém que não goste ou que reclame do que fizemos.

Pris

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O Cristo Consolador

Deus consola os humildes e dá força aos aflitos que a suplicam. Seu poder cobre a Terra, e por toda a parte, ao lado de cada lágrima, põe o bálsamo que consola.
O devotamento e a abnegação são uma prece contínua e encerram profundo ensinamento: a sabedoria humana reside nessas duas palavras. Possam todos os espíritos sofredores compreender essa verdade, em vez de reclamar contra as dores, os sofrimentos mortais, que são aqui na Terra o vosso quinhão. Tomai, pois, por divisa, essas duas palavras: devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a caridade e a humildade vos impõe.
O sentimento do dever cumprido vos dará a tranquilidade de espírito e a resignação. O coração bate melhor, a alma se acalma, e o corpo já não sente desfalecimentos, porque o corpo sofre tanto mais, quanto mais profundamente abalado estiver o espírito.
Espírito da Verdade / Havre, 1861

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo / CAP.VI - O CRISTO CONSOLADOR

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Estás Doente?

“E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará.”
(TIAGO, cap. 5, v. 15.)
Todas as criaturas humanas adoecem, todavia, são raros aqueles que cogitam de cura real.
Se te encontras enfermo, não acredites que a ação medicamentosa, através da boca ou dos poros, te possa restaurar integralmente.
O comprimido ajuda, a injeção melhora, entretanto, nunca te esqueças de que os verdadeiros males procedem do coração.
A mente é fonte criadora.
A vida, pouco a pouco, plasma em torno de teus passos aquilo que desejas.
De que vale a medicação exterior, se prossegues triste, acabrunhado ou insubmisso?
De outras vezes, pedes o socorro de médicos humanos ou de benfeitores espirituais, mas, ao surgirem as primeiras melhoras, abandonas o remédio ou o conselho salutar e voltas aos mesmos abusos que te conduziram à enfermidade.
Como regenerar a saúde, se perdes longas horas na posição da cólera ou do desânimo? A indignação rara, quando justa e construtiva no interesse geral, é sempre um bem, quando sabemos orientá-la em serviços de elevação; contudo, a indignação diária, a propósito de tudo, de todos e de nós mesmos, é um hábito pernicioso, de conseqüências imprevisíveis.
O desalento, por sua vez, é clima anestesiante, que entorpece e destrói.
E que falar da maledicência ou da inutilidade, com as quais despendes tempo valioso e longo em conversação infrutífera, extinguindo as tuas forças?
Que gênio milagroso te doará o equilíbrio orgânico, se não sabes calar, nem desculpar, se não ajudas, nem compreendes, se não te humilhas para os desígnios superiores, nem procuras harmonia com os homens?
Por mais se apressem socorristas da Terra e do Plano Espiritual, em teu favor, devoras as próprias energias, vítima imprevidente do suicídio indireto.
Se estás doente, meu amigo, acima de qualquer medicação, aprende a orar e a entender, a auxiliar e a preparar o coração para a Grande Mudança.
Desapega-te de bens transitórios que te foram emprestados pelo Poder Divino, de acordo com a Lei do Uso, e lembra-te de que serás, agora ou depois, reconduzido à Vida Maior, onde encontramos sempre a própria consciência.
Foge à brutalidade.
Enriquece os teus fatores de simpatia pessoal, pela prática do amor fraterno.
Busca a intimidade com a sabedoria, pelo estudo e pela meditação.
Não manches teu caminho.
Serve sempre.
Trabalha na extensão do bem.
Guarda lealdade ao ideal superior que te ilumina o coração e permanece convicto de que se cultivas a oração da fé viva, em todos os teus passos, aqui ou além, o Senhor te levantará.

Fonte: livro Mensagens de Saúde Espiritual/texto Chico Xavier/Emmanuel

sábado, 24 de julho de 2010

Oração Nossa

Senhor ensina-nos a orar, sem esquecer o trabalho.
A dar, sem olhar a quem.
A servir, sem perguntar até quando...

A sofrer, sem magoar, seja quem for.
A progredir, sem perder a simplicidade.
A semear o bem, sem pensar nos resultados...

A desculpar, sem condições.
A marchar para frente, sem contar os obstáculos.
A ver sem malícia...

A escutar, sem corromper os assuntos.
A falar, sem ferir.
A compreender o próximo, sem exigir entendimento...

A respeitar os semelhantes, sem reclamar consideração.
A dar o melhor de nós, além da execução do próprio dever, sem cobrar taxas de reconhecimento...

Senhor, fortalece em nós, a paciência para com as dificuldades dos outros, assim como precisamos da paciência dos outros, para com as nossas próprias dificuldades...

Ajuda-nos para que a ninguém façamos aquilo que não desejamos para nós...

Auxilia-nos, sobretudo, a reconhecer que a nossa felicidade mais alta será, invariavelmente, aquela de cumprir seus desígnios onde e como queiras, hoje, agora e sempre.

Chico Xavier/Emmanuel



quinta-feira, 22 de julho de 2010

Evangelho No Lar



1. Estudar o Evangelho de Jesus, à luz do Espiritismo, o qual nos possibilita entendê-lo em „espírito e verdade“, facilitando, assim, pautar nossas vidas segundo a vontade de Deus.



2. Criar em todos os lares, o hábito salutar de reuniões evangélicas, para que os mesmos despertem e acentuem o sentimento de fraternidade, que deve existir em cada criatura.


3. Pelo momento de paz e compreensão que o Evangelho no Lar oferece, une mais as pessoas e proporciona-lhes uma vivência mais trânquila.



4. Tornar o Evangelho melhor compreendido e exemplificado.



5. Proteger os lares de influências espirituais negativas, higienizando-o pelos nossos pensamentos e sentimentos elevados, possibilitando assim, a ajuda dos Mensageiros do Bem.



6. Facilitar no lar e fora dele, o amparo necessário para enfrentar as dificuldades materiais e espirituais, mantendo os princípios da oração e vigilância dos pensamentos e sentimentos.



7. Elevar o padrão vibratório dos componentes do lar, a fim de que ajudem, com mais eficiência o Plano Espiritual na obtenção de um mundo melhor.



Roteiro



1. Escolher um dia e uma hora da semana em que seja possível a presenca de todos os elementos da família, ou a maior parte deles. Observar rigorosamente esse dia e essa hora da reunião, para facilitar a assistência espiritual.


2. Depois de providenciar uma jarra ou copos com água para fluidificar, e tendo o local preparado (silêncio ou música suave), iniciamos, na hora marcada, com uma prece simples e espontânea dirigida à Deus, em que, mais que as palavras, tenham valor os sentimentos, não devendo, portanto, ser decorada.


3. Fazer a leitura do Evangelho, ou outro livro de mensagens, em sequência ou ao acaso.


4. Fazer comentários breves sobre o trecho lido, buscando a essência dos ensinamentos de Jesus, para aplicação na vida diária, evitando comentários de desdouro às religioes ou pessoas e, também, não mater conversação menos edificante.


5. A reunião pode ser dirigida por qualquer pessoa da casa, de preferência pela que tiver mais conhecimentos doutrinários, a qual caberá incentivar a participação de todos e tornar as lições fáceis de serem compreendidas.


6. Em seguida, convida-se os participantes a fazerem um recolhimento interior (silêncio interior, afastando as preocupações , e fechando os olhos, bem relaxados).


7. Iniciamos a subida vibratória, ligando-nos, mentalmente com:



a) mentor individual ( anjo da guarda/ guia espiritual/. Agradeça-lhe, com muito amor, a proteção que ele lhe oferece em todos os momentos de sua vida.


b) as fraternidades do espaço, que trabalham pelo Bem, e em especial com as responsáveis pela higienização espiritual dos ambientes, e lhe pedimos trazer muita luz ao nosso lar, para afastarem energias negativas e dar-nos proteção.


c) Buscamos os planos suaves e harmoniosos de Maria de Nazareth, a doce mãe de Jesus, pedindo que dulcifique os nosos corações, aumentando assim, a nossa capacidade de amar e perdoar.


d) vamos ao encontro de Jesus, nosso Mestre, pedindo suas bençãos e forças para vivenciarmos seus exemplos de Amor.


e) finalmente nos ligamos a Deus, nosso Pai Criador, louvando-o através da prece „Pai Nosso“.


f) em seguida, propomo-nos à oferecer as nossas melhores vibrações de amor :


para o Bem Universal


Pela paz na Terra, que é um Lar que nos abriga e pela Humanidade, como nossa grande família


Pelo nosso país


Pela confraternização de todas as religiões e filosofias


Por todos os que sofrem, encarnados ou desencarnados


Doentes, crianças, jovens, velhos, criminosos


Pela harmonia e concórdia em todos os lares da Terra


Pelos nossos familiares, amigos e supostos inimigos


Pelas pessoas que gostaríamos de auxiliar (cujos nomes/endereço podemos colocar sobre a mesa)


Por nós mesmos, agradecendo pelo que temos e somos, e rogando forças para que nos esforcemos em melhorar intimamente.


Pedimos a proteção semanal para nosso Lar, mentalizando Jesus, entrando pela nossa porta principal, iluminando e protegendo nossa casa, nossos familiares e a nós mesmos. Entrege seus problemas a Jesus. Jesus nunca deixa de nos ouvir.Só que nem sempre pedimos o que seja o melhor para nós no momento, mas Jesus, em sua Sabedoria Infinita, nos dará o que mais nos convier.


Com muita fé pedimos à Jesus que abençõe a água que temos sobre a mesa (se for garrafa/jarra deixe sem tampa), descendo sobre ela fluídos retificadores e salutares, que nos fortificarão fisicamente e espiritualmente.


Finalizando, mentalize uma cúpula protetora ao redor da casa, na tonalidade rosa claro. Fazer uma prece espontânea de agradecimento por tudo e encerra-se a reunião.



Observações importantes


As preces e leitura do texto devem ser feitas em voz alta!. Sua voz, lendo textos elevados e proferindo preces com amor, afastará de você as energias negativas e, ao mesmo tempo, esclarecerá espíritos menos evoluídos. Você estará colaborando para que eles se afastem já bem melhores.


O culto do evangelho não é trabalho mediúnico. Assistência espiritual e trabalho mediúnico devem somente ser realizados em Sociedade Espírita idônea.


A duração nao deve ultrapassar 30 minutos.


Não suspender a prática do Evangelho em virtude de visitas, passeios adiáveis, ou acontecimentos fúteis.


Crianças só poderão participar quando tiverem idade ou amadurecimento suficientes para acompanhar a reunião sem fadiga ou inquietação. Elas podem colaborar ativamente segundo a sua capacidade, quer nas preces, comentários ou leituras.


Os lares cristãos são refúgios sagrados para os membros da comunidade e o Evangelho no Lar é um recurso de extraordinária importância, de que se utiliza o Plano Espiritual para sustentar o trabalho de evangelização da humanidade e proteção da família.


Por sua grande importância, esse trabalho é especialmente visado pelos espíritos inferiores, que procuram interferir pra impedir sua expansão, sendo necessário perseverança e fé para sua continuidade e preservação.


Fonte :http:// http://www.spiritismo.de/


Muitas pessoas me perguntam sobre o Evangelho no Lar, então fui pesquisar um texto que explicasse direitinho como fazer, pra que serve, como se portar durante o Evangelho no Lar.


Eu faço Evagelho toda semana, mas no começo foi difícil conciliar o dia da semana, horário, mas hoje fazemos todas as quartas-feiras.


Se mesmo depois de ler esse texto vocês ainda tirem alguma dúvida podem me perguntar através do meu e-mail ou em comentário.


Pris





quarta-feira, 21 de julho de 2010

Selo Blog de Ouro

Esse selo e ganhei da minha amiga Lucinha do blog Luz, Alegria, Força e Fé http://luciafortaleza2.blogspot.com. Esse blog realmente é de ouro,sempre com textos que levantam o nosso astral ensinando. Visitem vocês vão gostar.

Esse selo eu gostaria de dividi-lo com vários blogs, mas quase todos aos quais eu daria esse selo já ganharam... acho que estou precisando ampliar minha lista de blogs...

Mas me sobraram 2
O Blog Ed E Pris http://edpris.blogspot.com
E o blog de músicas http://musicastraducoeslinksebiografias.blogspot.com


terça-feira, 20 de julho de 2010

O que é um amigo?


Um amigo é alguém que nos quer
assim como somos.

Alguém muito especial e tão próximo dos nossos
pensamentos que distancia alguma
poderá ser longe.

Um amigo é alguém que ao cumprimentar nos faz feliz.
Um amigo é alguém que nos compreende sem necessidade
de palavras e permanecem próximos quando
as coisas não saem bem.

é alguém que está sempre disposto a escutar nossos
problemas e nos ajudar a solucioná-los.

Obrigado por ser esse alguém!


Feliz Dia do Amigo!

fonte:http://www.belasmensagens.com.br/ Autor desconhecido


No dia do amigo não poderia deixar de postar algo a respeito porque fiz tantos amigos virtuais, uns mais próximos outros nem tanto, mas com certeza todos aqueles que frequentam esse blog e que se correspondem comigo através de e-mail ou comentários de uma forma ou outra é um amigo, com o qual sempre aprendo.

Obrigada à todos os meus amigos blogueiros e leitores pelo carinho!


Pris

sábado, 17 de julho de 2010

Sintonia e Vibração



Imaginemos alguém que, com um perfume muito forte, permanece determinado tempo em ambiente fechado. A fragrância do seu perfume irá se espalhar pelo ambiente, que ficará impregnado, durante algum tempo, com o odor característico. Da mesma forma, o resultado do que pensamos e sentimos, fica indelevelmente plasmado naqueles ambientes que mais costumamos freqüentar.


Assim, os nossos lares, os ambientes de trabalho, os locais onde se realizam cultos religiosos e de outros tipos, ficam com suas atmosferas marcadas pelas formas-sentimento e formas-pensamento que comumente ali são expressadas. Quem penetrar em um desses ambientes, inconscientemente ou não, se sentirá inclinado a sintonizar-se psiquicamente com as vibrações ali caracterizadas, sejam agradáveis ou desagradáveis.


Por outro lado, se alguém com um perfume muito forte nos abraça, inevitavelmente herdaremos o odor que dessa pessoa é emanado, seja ele prazeiroso ou não. Da mesma forma que o perfume alheio nos invade a atmosfera pessoal, as vibrações espirituais de quem nos abraça também nos invadem a organização íntima, nem que essa troca energética se processe - e também se conclua - em poucos segundos, tempo necessário para que as defesas energéticas da aura administrem a invasão energética. Em resumo, estamos sempre marcando, com a "nossa fragrância espiritual", as pessoas e os ambientes com os quais convivemos e, ao mesmo tempo, recebendo a suas influências. Quando e se, as nossas defesas espirituais estiverem em boa forma, assimilaremos apenas o que nos for positivo e rechaçaremos o que não for. Esse processo é inconsciente, como também o é o da defesa orgânica que os anticorpos promovem em nosso corpo, sempre que necessário. É tudo tão rápido que o cérebro físico-transitório não dá conta, apesar de ser ele que administra todo o processo, como também o faz, a nossa mente espiritual, quando o caso se relaciona com as vibrações de terceiros que nos invadem o espírito.


É importante perceber que, uma simples troca de olhares, um aperto de mão, um abraço, uma relação sexual, por exemplo, são situações em que a troca energética acontece, independentemente de querermos ou não. Quando a nossa resultante de defesa vibratória é positiva - normalmente assim o é nas pessoas que tem bom ânimo, não se deixam entristecer pelos fatos, são disciplinados no campo da oração e/ou meditação etc. - pouco nos invade a energia alheia, se isto for nos servir de transtorno ao nosso equilíbrio energético. Ao contrário, se estivermos em baixa condição de defesa energética, tal qual um prato de alimento estragado que inapelavelmente irá causar 'estragos" no nosso organismo, a energia deletéria alheia nos desarmonizará durante pouco ou muito tempo, conforme for a nossa capacidade psiquica-espiritual em restabelecer o equilíbrio que nos caracteriza, seja ele de que nível for.


As crianças pequenas que sequer andam, normalmente tem energia passiva, e sofrem um bocado quando ficam "passando de braço em braço", recebendo verdadeiras descargas energéticas que normalmente lhes causam desequilíbrios de toda ordem. Se os pais terrenos disso soubessem, outras seriam as suas posturas em relação a permitirem que seus filhos andem de "braço em braço".


Portanto, estamos a todo momento, trocando energia com as pessoas e com os ambientes que nos rodeiam. O equilíbrio - leia-se, saúde espiritual - de cada um, é o único antídoto a impedir que as vibrações negativas, alheias à nossa organização espiritual, penetrem no nosso íntimo. Saber conviver sem sintonizar com a energia de terceiros é postura que somente os mestres de si mesmos conseguem plasmar na difícil coexistência com os demais. Ao contrário, se a toda hora temos a sensibilidade pessoal invadida por problemas e influências de outras pessoas e/ou situações, ficamos sempre à mercê dos "outros nos deixarem" ficar em paz. Assim, a nossa paz íntima dependerá dos outros, jamais de nós próprios; o nosso controle será sempre refém do descontrole alheio; a nossa fragrância espiritual estará sempre mesclada com a dos outros; enfim, dificilmente conseguiremos ser donos de nossa própria vida.


Se pretendemos ser os arquitetos e atores da nossa própria caminhada evolutiva é mister que cuidemos do nosso equilíbrio espiritual, escolhendo quando e como sintonizar com as vibrações alheias, seja em uma conversa, em um convívio mais íntimo, numa palestra, enfim, numa simples leitura, como é o caso que ora ocorre, pois, até o que lemos pode nos ser motivo de enriquecimento ou de desarmonia interior, já que é vibração que nos penetra a alma.


Lembremo-nos de que: a soberania espiritual passa necessariamente pelo controle das emoções; a saúde do nosso corpo dependerá da qualidade do que nos alimentamos; o equilíbrio do nosso espírito depende e, em muito, do que nos permitimos sintonizar, através dos sentidos.


Afinal, se a massa e energia são aspectos de um mesmo padrão existencial, sintonia e vibração formam o elo entre toda a massa e energia que existe, independente das formas transitórias que venham a assumir.


Melhoremos a nossa vibração pessoal e eduquemos os nossos padrões de sintonia. Isto feito, estaremos despertando no nosso íntimo, a grande herança que recebemos do Pai Celestial.



Jan Val Ellam


fonte: http://www.caminhosdeluz.org Livros: "Queda e Ascensão Espiritual" Vialuz, ano 4, n° 16




Muitas pessoas me perguntam a respeito da vibração e por mais que eu saíba, fui buscar um texto que explicasse de uma forma mais clara para postar e achei esse texto muito explicativo e de fácil compreensão.


Espero ajudar todos aqueles que tenham dúvidas em respeito a sintonia e vibração, pois quando sabemos lidar com ambas a vida fico um pouco menos complicada.



Pris




quinta-feira, 15 de julho de 2010

Conquistas


Acredite em si mesmo
Viva os momentos como se fossem únicos
Saboreie os segundos como se fosse perdê-los
Desfrute o sol que brilha inigualável...

Busque seus sonhos
Você pode estar aonde não idealizou
Tudo é mutante e mutável
Corra atrás da estrela cadente
Alcance o lua no infinito céu...

Abrace
Beije
Apaixone
Ame.

Queira ir além do possível
Tanja o universo maior, ultrapasse
Apalpe as nuvens no esplendor do céu
Derrame sorrisos no espaço laço...
Desperte desta noite insone e nebulosa
Açambarque os atalhos e encruzilhadas
Transforme em estrada reta, curvas sinuosas
Faça brilhar a luz no final do túnel...

Acredita
Siga
Sorria
Viva.

Fale
Grite
Busque
Conquiste.

Queira o total indivisível
Seja comunhão universal
Veja a arte praticada
Persiga,.
A felicidade é construída..


Autor Desconhecido



terça-feira, 13 de julho de 2010

Beneficência


Chamo-me caridade, sou o caminho principal que conduz a Deus; segui-me, porque eu sou a meta a que vós todos deveis visar.

Fiz nesta manhã o meu passeio habitual, e com o coração magoado venho a dizer-vos: , Oh meus amigos, quantas misérias, quantas lágrimas, e quanto tendes de fazer para secá-las todas!

Inultilmente tentei consolar as pobres mães, dizendo-lhes ao ouvido: Coragem! ?Há corações bondosos que velam por vós, que não vos abandonarão; paciência!Deus existe e vós sois as suas amadas, as suas eleitas. Elas pareciam ouvir-me e voltavam para mim os seus grandes olhos assustados. Eu lia em seus pobres semblantes que o corpo, esse tirano do Espírito, tinha fome, e que, se as minhas palavras lhes tranquilizavam um pouco o coração, não lhes saciavam o estômago. Então eu repetia: Coragem! Coragem!

E uma pobre mãe, muito jovem, que amamentava uma criancinha tomou-a nos braços e ergue-a no espaço vazio, como para me rogar que protegesse aquele pobre e pequeno ser, que só encontrava num seio estéril alimento insuficiente.

Mas adiante, meus amigos, vi pobres velhos sem trabalho e logo sem abrigo, atormentados por todos os sofrimentos da necessidade, e envergonhados de sua miséria, não se atrevendo, eles que jamais mendigaram, a implorar a piedade dos passantes.

Coração empolgado de compaixão, eu, que nada tenho, me fiz mendinga para eles, e vou para toda parte estimular a beneficiência, inspirar bons pensamentos aos corações generosos e compassivos. Eis por que venho até vós, meus amigos, e vos digo: Lá em baixo há infelizes cuja cesta está sem pão, a lareira sem fogo, o leito sem cobertas. Não vos digo o que deveis fazer, deixo a iniciativa aos vossos bons corações; pois se eu vos ditasse a linha de conduta, não tereis o mérito de vossas boas ações. Eu vos digo somente: Sou a caridade e vos estendo as mãos pelos vossos irmãos sofredores.

Mas, se peço, também dou, e muito, eu vos convido para um grande festim, e ofereço a árvore em que vós todos podereis saciar-vos. Vede como é bela, como está carregada de flores e de frutos! Ide, ide, colhei, tomai todos os frutos dessa bela árvore que se chama beneficência. Em lugar dos ramos que lhe arrancardes, porei todas as boas ações que fizerdes e levarei a árvore a Deus, para que Ele a carregue de novo, porque a beneficência é inesgotável. Segui-me, pois, meus amigos, afim de que eu vos possa contar entre os que se alistam sob a minha bandeira. Sede intrépidos: eu vos conduzirei pela via da salvação, porque eu sou a Caridade!

Cáritas


Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo/Cap. XIII/Que a mão esquerda não saiba o que fez a direita/ Benificiência

sábado, 10 de julho de 2010

'Nos domínios da Mediunidade'


Aí vai uma dica para quem quer se instruir um pouco mais.. Esse é um livro que eu já li, reli, e sei que ainda vou ter que ler muitas vezes, porque realmente é muito bom =]



“Nos domínios da mediunidade” é um verdadeiro manual sobre os tipos de mediunidade que existem, e sobre os cuidados que o espírito encarnado deve ter quando se dispõe a trabalhar como médium. André Luiz relata, de forma simples e inteligentíssima, os estudos dele em um centro espírita e pelas ruas e casas, em situações cotidianas ou em reuniões mediúnicas, mostrando os perigos que nós, encarnados, não percebemos, por estarmos muito presos às nossas preocupações e paixões materiais.

Ser Espírita



SER ESPÍRITA


Ser espírita não é ser nenhum religioso; é ser cristão.


Não é ostentar uma crença; é vivenciar a fé sincera.


Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade.


Não é superar o próximo; é superar a si mesmo.


Não é construir templos de pedra;


é transformar o coração em templo eterno.


Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação;


é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina


e caminho natural para a perfeição.


Não é só comunicar-se com os Espíritos, porque todos indistintamente se comunicam, mesmo sem o saber;


é comunicar-se com os bons Espíritos para se melhorar e


ajudar os outros a se melhorarem também.


Ser espírita não é apenas consumir as obras espíritas para obter conhecimento e cultura;


é transformar os livros, suas mensagens,


em lições vivas para a própria mudança.


Ser sem vivenciar é o mesmo que dizer sem fazer.


Ser espírita não é internar-se no Centro Espírita,


fugindo do mundo para não ser tentado;


é conviver com todas as situações lá fora, sem alterar-se como espírita, como cristão.


O espírita consciente é espírita no templo, em casa, na rua, no trânsito, na fila, ao telefone, sozinho ou no meio da multidão, na alegria e na dor, na saúde e na doença.


Ser espírita não é ser diferente;


é ser exatamente igual a todos, porque todos são iguais perante Deus.


Não é mostrar-se que é bom; é provar a si próprio


que se esforça para ser bom, porque ser bom deve


ser um estado normal do homem consciente.


Anormal é não ser bom.


Ser espírita não é curar ninguém;


é contribuir para que alguém trabalhe a sua própria cura.


Não é tornar o doente um dependente dos supostos poderes dos outros;


é ensinar-lhe a confiar nos poderes de Deus e nos seus próprios poderes que estão na


sua vontade sincera e perseverante.


Ser espírita não é consolar-se em receber;


é confortar-se em dar, porque pelas leis naturais da vida,


"é mais bem aventurado dar do que receber".


Não é esperar que Deus desça até onde nós estamos;


é subir ao encontro de Deus, elevando-se moralmente e


esforçando-se para melhorar sempre.


Isto é ser espírita


Com as bênçãos de Jesus, nosso Mestre.


Do Livro "Aprendendo a lidar com as crises" –


Wanderley Pereira.



Esse texto eu recebi como e-mail da minha amiga Lucinha, fiquei encanta e resolvi dividi-lo com todos vocês.


Esse texto é tão lindo que chega quase a ser uma oraçõa.


Um ótimo final de semana pra todos.



Pris

quinta-feira, 8 de julho de 2010

O que me fez uma blogueira

Esse selinho eu ganhei da minha amiga Lucinha do blog Luz, Alegria, Força e Fé http://lucinhafortaleza2.blogspot.com
Sempre que entreva em sites como o da Folha, IG, via lá os blogs, entrava em blogs dos artistas e achava interessante.
Um dia conversando com a Karina tive a idéia de fazer um blog.
Fiquei um tempo amadurecendo a idéia, eu sempre gostei muito de escrever, mas não queria fazer qualquer blog, queria usar essa ferramenta para levar algo de útil para as pessoas, então resolvi fazer esse blog, que não é propriamente espírita, porque posto mensagens, minha vivência no espiritismo, mas posso dizer que amo fazer esse blog e com todo carinho que recebo de vocês só me animo a cada dia mais a continuar.
Obrigada Lucinha por esse selinho que me deu a oportunidade de colocar o porque eu tenho esse blog e digo que estou pensando em seguir os caminhos da Valéria e da Jeanne e fazer um outro blog, mas com textos meus.
Divido esse selo com esses 4 outros blogs:

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Carta a um Amigo



Trabalho no meio comercial já há quase 15 anos, e durante esse período, além da vivência e experiência profissional (a qual acredito damos um valor excessivamente exagerado), tão importante quanto é a vivência com as pessoas que nos possibilita o sagrado exercício da tolerância e paciência (isso sim, muitíssimo importante).


Durante nossa vida, aprendemos sempre a nos defender, mesmo que inconscientemente das outras pessoas para não perdermos nosso espaço, e isso ocorre em todos os campos da convivência humana (isso acontece mesmo em nossa casa). E como fazemos isso? Nos fechamos! Coisa mais simples, não é! Nos fechamos para demonstrar à outra pessoa (pretenso concorrente), que você não irá abrir espaço para que ela se achegue, tome confiança, possibilitando de imediato ou futuramente em algum tipo de “dor de cabeça” ou coisa pior para você.


E crescemos assim. Sempre nos acercando de “escudos” tipo, braços cruzados sobre o peito, olhares de desconfiança do tipo que medem a pessoa de cima a baixo e sempre com o nariz empinado olhando a pessoa de cima como se você fosse superior, e é claro, não podemos esquecer de fazer uma bela cara de pouquíssimos amigos, daquela que você acha que vai levar uma bronca se por acaso pensar em se arriscar de abrir a boca para falar o que quer que seja. Isso quando também não usamos de algumas “lanças” como palavras ríspidas de autoridade ou de escárnio, e até mesmo se aproveitando de uma possível força física superior.


Natural, não é? Oras, é assim que vivenciamos nossas experiências em sociedade. Eu faço isso, você faz isso, todos fazemos isso, em diferentes níveis de consciência mas fazemos, e não adianta negar! E sabe o que é pior? Acreditamos nisso, como se fosse a única maneira possível de lidar com o “próximo”, mesmo com todos os alertas, conselhos e exemplos vividos por pessoas de atitudes e moralidade mais elevados, que tentam nos indicar um caminho mais pacífico para a inter- convivência através do respeito mútuo. E sabe o que é pior? Sabemos que eles tem total razão, mas continuamos com esse tipo de atitude de nível inferior.


Imaginemos então, a seguinte situação: Lá está você em seu serviço, sempre alerta com os outros e demonstrando auto-confiança (se utilizando das atitudes acima já citadas), quando do nada você escuta ao longe uma voz forte, mas melodiosa, cantando em alto e bom som hinos de louvor (as vezes um pagodinho). Curioso e estranhando tão ousada atitude, você para o que está fazendo e volta seus olhos para a origem da cantoria. E eis que do final do largo corredor aparece uma figura robusta, alta, de andar displicente com um enorme e largo sorriso cheio de dentes vindo em sua direção! Você é claro pensa: “Que é isso?”. De imediato, obedecendo seus instintos de autoproteção, você se fecha e se prepara, porque lá vem um famigerado pretenso concorrente. Tal figura chega perto de você, sua altura e seu sorriso parecem duplicar de tamanho. Então ele estica o braço direito em sua direção com a enorme mão espalmada e fala firmemente imitando uma voz meio que de Silvio Santos misturado com Lombarde: “OLÁ! SATISFAÇÃO EM COMPRIMEN-TA-LO! TENHA UM BOM DIA!”. Ele desfia esse comprimento, segurando sua mão e balançando todo o seu braço até o ombro, sem desarmar o enorme sorriso branco, cheio de dentes, e com um olhar sincero de que ele realmente está tendo tal satisfação em cumprimentar você! Então, totalmente desarmado, você mal consegue retribuir o cumprimento, fica balbuciando palavras meio desconexas, enquanto ele sai para cumprimentar outro com o mesmo entusiasmo!


Ele literalmente quebrou suas pernas. Mas você, se recuperando de tanto entusiasmo, retoma o “raciocínio” e pensa: “ Pô, esperto esse cara hein! Ele chega, toma atitudes inesperadas, te aborda já chegando com tudo, não lhe dando tempo de reagir...mas deixa ele! Ele não me engana!! Vou ficar “ligeiro” com esse fulano.”


No dia seguinte é a mesma coisa, e no seguinte, no seguinte, seguinte...Todo o santo dia é da mesma forma! Você escuta a canção, vê o sorrisão, recebe um cumprimento entusiasmado e fica parado sem saber o que o atingiu. Até que uma hora você se rende à simpatia dessa entusiasmada figura, e permite que ele se achegue mais, converse com você, brinque com você. Você se permite conhecê-lo melhor e ele à você!


BUM!! Está feito. Ele te conquistou. E as únicas armas utilizadas por ele, foram sinceridade no olhar, bom humor inabalável e é claro aquele enorme, largo e branco sorrisão cheio de dentes.


Eu também sou adepto do bom relacionamento com o próximo, sou sincero quando me dirijo a todos com um cumprimento e um sorriso, mas esse fulano é de um nível superior em matéria de boa convivência e respeito para com o próximo. Pra chegar à seu nível, acho que vou precisar de mais umas duas ou três encarnações. Acredito que Deus coloca essas pessoas em nossas vidas, para que possamos nos auto-avaliar, e para nos servir de exemplo. Nada é por acaso, não é mesmo?


Mesmo agindo de forma individualista, temos em nosso íntimo, uma vontade enorme de nos relacionarmos bem com todos, pois intimamente temos consciência de que não existem pessoas más, mas sim pessoas que erram, assim como também estamos passíveis de errarmos, e errarmos feio.


Como é natural, nos apegamos fortemente à este tipo de pessoa por que sempre queremos o que há de melhor ao nosso lado, mas nada é eterno, não é mesmo! Tudo o que é bom dura pouco, como diz o velho e sábio jargão popular. Essa tal pessoa tem que seguir sua vida ( ou seria missão? ), e para isso ela tem que sair das nossas. Ficamos tristes, arrasados mesmo! E num ímpeto instintivo, queremos não deixar que ela se vá. Mas isso no fundo é um sentimento egoísta, pois precisamos pensar, ter consciência de que outros precisam daquele sorrisão largo, branco e cheio de dentes. Que outros também precisam de tomar o mesmo choque que você levou para se auto-avaliar e seguir um bom exemplo. Nos resta apenas agradecer a Deus por nos ter dado a benção e a oportunidade de termos convivido com tal pessoa e desejar-lhe muitas bênçãos e saúde para continuar seu caminho, iluminando outros rostos e consciências, mudando para melhor outras vidas.


Credo! Isto está mais parecendo um epitáfio. Estou descrevendo essa pessoa quase que como se ela fosse santa! Mas o melhor é que ela não é (eu mesmo já escutei ela falar dois ou três absurdos). Ela é assim como nós, seres passiveis de erros. A importância dessa pessoa ser assim como nós, é o que nos dá esperança e a certeza de que podemos ser melhores, mesmo sendo tão passíveis de erros e enganos.


Autor: Eder Jackson


Essa carta chegou as minhas mãos pelo próprio autor, que veio me perguntar o que eu achava do texto, quando eu li tive a certeza que deveria compartilha-la com vocês, afinal vemos muito do que diz a carta no nosso dia-a-dia.


Às vezes perdemos ótimas oportunidades de amizades, por estarmos fechados para o mundo, que bom que o autor percebeu a tempo e pode desfrutar dessa amizade antes dessa pessoa seguir o seu caminho.


Pris


segunda-feira, 5 de julho de 2010

20 Dicas de Sucesso



  1. 01- Elogie três pessoas por dia
    02 -Tenha um aperto de mão firme
    03 -Olhe as
    pessoas nos olhos
    04 -Gaste menos do que ganha
    05 -Saiba perdoar a si e aos outros
    06 -Trate os outros como gostaria de ser tratado
    07 -Faça novos amigos
    08 -Saiba guardar segredos
    09 -Não adie uma alegria
    10 -Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados
    11 -Sorria
    12 -Aceite sempre uma mão estendida
    13 -Pague suas contas em dia
    14 -Não reze pra pedir coisa, reze para agradecer e pedir sabedoria e coragem
    15 -Dê às pessoas uma segunda chance
    16 -Não tome uma decisão quando estiver cansado ou nervoso
    17 -Respeite todas as coisa vivas, especialmente as indefesas
    18 -Doe o melhor de si no seu trabalho
    19 -Seja humilde, principalmente nas vitórias
    20 -Jamais prive uma pessoa de esperança.


Autor desconhecido


Esses 20 passos parecem bobos, mas se conseguirmos pratica-los vai fazer muita diferença em nosso dia-a-dia.


Pris

sábado, 3 de julho de 2010

Algumas maneiras de fazer alguém feliz


Dê um beijo.
Um abraço.
Um passo em sua direção.
Aproxime-se sem cerimônia.
Dê um pouco de calor, do seu sentimento.
Sente-se perto e fique por algum tempo.
Não conte o tempo de se doar.
Liberte um imenso sorriso.
Rasgue o preconceito
Olhe nos olhos.
Aponte um defeito, com jeito.
Respeite uma lágrima.
Ouça uma história ou muitas, com atenção.
Escreva uma carta e mande.
Irradie simplicidade, simpatia, energia.
Num toque de três dedos, observe as “coincidências”.
Não espere ser solicitado, preste um favor.
Lembre-se de um caso.
Converse sério ou fiado.
Conte uma piada.
Ache graça.
Ajude a resolver um problema.
Pergunte: Por quê? Como vai?
Como tem passado?
Que tem feito de bom?
Que há de novo? E preste atenção.
Sugira um passeio, um bom livro, um bom filme.
Diga de vez em quando, desculpe, muito obrigado,
Não tem importância, que há de se fazer, dá-se um jeito.
Tente de alguma maneira ...
E não se espante se a pessoa mais feliz for você!!!


Autor Desconhecido


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...