sábado, 9 de outubro de 2010

Reflexão


Por excesso de escrúpulos, muita gente deixa de fazer o que pode. Em troca de algumas convenções, de preservação de uma imagem montada e de esquemas pré-construídos, muita gente renúncia à própria originalidade, e aceita vidas de papel, com almas de plástico, prontas para serem consumidas ou substituídas, como folhas ao vento.
A criatividade não é prerrogativa de gênios: é atributo indissociável a condição humana. Se hoje você não vive o que sente ser, provoca-se a maior das desgraças para si: a morte da própria alma, de sua vitalidade, de sua razão para viver.
Siga suas vozes interiores, naquilo que lhe sussuram sobre felicidade, amor e ideal. Sem a conquista do universo interior, nunca poderá haver qualquer conquista externa verdadeiramente satisfatória e duradoura.

Temístocles/ medium Benjamim Teixeira

Porque acordamos com DORES, MAL ESTAR e DESÂNIMO pela VIDA (Visão Espírita)

Quando dormimos, nossa alma acorda. Não somos o nosso corpo, em essência, somos a consciência que habita nosso corpo. Quando adormec...