terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Como controlar e Eliminar a Ira



A ira aniquila a capacidade de pensar e de resolver os problemas que a originam. Obviamente, a ira é uma emoção negativa. O enfrentamento de duas emoções negativas de ira não consegue paz nem compreensão criadora. 

Inquestionavelmente, sempre que projetamos a ira a outro ser humano, produz-se a derrubada de nossa própria imagem e isto nunca é conveniente no mundo das inter-relações. 
Os diversos processos da ira conduzem o ser humano para horríveis fracassos sociais, econômicos e psicológicos. 
É claro que a saúde também é afetada pela ira. Existem certos néscios que se aproveitam da ira, já que esta lhes dá um certo ar de superioridade. Nestes casos a ira combina-se com o orgulho. 
A ira também costuma se combinar com a presunção e até com a auto-suficiência. A bondade é uma força muito mais esmagadora que a ira. 

Uma discussão colérica é tão somente uma excitação carente de convicção. 
Ao enfrentarmos a ira, devemos resolver-nos, devemos decidir-nos, pelo tipo de emoção que mais nos convém. 
A bondade e a compreensão resultam melhores que a ira. Bondade e compreensão são emoções permanentes, posto que podem vencer a ira. 
Quem se deixa controlar pela ira destrói sua própria imagem. O homem que tem um completo autocontrole, sempre estará no cimo. 

A frustração, o medo, a dúvida e a culpa originam os processos da ira. Frustração, medo, duvida e culpabilidade produz a ira. 
Quem se libertar destas quatro emoções negativas dominará o mundo. Aceitar paixões negativas é algo que vai contra o auto-respeito. 

A ira pertence aos loucos. Não serve porque leva à violência. 
O fim da ira é levar-nos à violência e esta produz mais violência.” 


Trecho retirado do livro “A Revolução da Dialética”: 

Esteja especialmente atento a este defeito, pois ele se manifesta muitas vezes e de várias formas, e seus efeitos são extremamente negativos. 
O meio para eliminá-lo é o mesmo que para qualquer defeito psicológico: auto-observação e morte psicológica

Nada justifica ficarmos nervosos, bravos, com ódio, etc., seja por qual motivo for. 
Embora não seja o comum, o normal seria encarar com serenidade qualquer fato ou evento, seja este desagradável ou até mesmo desastroso. 

Conforme vamos eliminando o defeito da ira vai surgindo em nós, na mesma proporção, a virtude da serenidade. 
Conforme vamos eliminado o defeito do ódio, irá surgindo em nós a virtude do amor. 

O defeito da ira alimenta-se de muitos detalhes e se manifesta em várias situações. 
Algumas situações comuns nas quais se manifesta o defeito da ira são:

  • Discussões em casa ou no trabalho, ainda que de forma sutil. 
  • Situações desagradáveis e inevitáveis. Acidentes de qualquer natureza, como quebrar um objeto estimado. 
  • Fatos que geram frustração, como quando se está esperando por algo que não acontece. 
O defeito da ira pode, sozinho, desgraçar por completo a vida de uma pessoa. 
Mais ainda, pode desgraçar também a vida de todos ao seu redor, como infelizmente ocorre, por exemplo, nos tristes casos de violência doméstica. 
Não permita de forma alguma que esse defeito influencie a sua vida. 

“Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.” 
Jesus Cristo (Mateus – 5,5) 

Um comentário:

  1. Que belo alerta amiga... a ira só traz malefícios...
    Tenha um sereno dia querida...beijinhos
    Valéria

    ResponderExcluir

Meus queridos amigos!
Obrigada pelo carinho e atenção de todos vocês!
Seus comentários são muito importantes pra mim.
Beijinhos

Pris

Seja Inteiro no que Importa

A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.  A gen...